quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Na intimidade do Lar




Mariela é uma simpática e dedicada dona de casa, formada em psicologia, funcionária pública e antenada nas transformações sociais. Casada com Denivaldo engenheiro mecânico, dono do seu próprio negócio. Eles tem um filho, o Naldinho, garoto bonito, com 17 anos.
Denivaldo precisamos conversar com o Naldinho. Disse Mariela.
Denivaldo estirado no sofá curtindo a preguiça de fim de semana, perguntou: Qual o assunto?

Ela disse: Esse menino anda muito estranho. Chegou hoje, o dia estava quase raiando, estava rasgado e com um pedaço de pau na mão. Parecia um taco de Beisebol E ele nem esporte pratica e muito menos gosta. Você tem que conversar com ele. Saber onde ele esteve, com quem...

Mariela, você se preocupa demais, nosso filho está só curtindo a vida, isso é da idade. Problema mesmo enfrenta o Antônio da padaria. Estão todos comentando que o filho dele é fruta.

Fruta? Indagou a mulher. Fruta como?
Sem muita paciência o homem respondeu quase rosnando. Bicha mulher! Viado! Biba! Entendeu agora?

Ainda sem ver qual problema, Mariela retrucou: E o que tem isso? O menino é muito inteligente, já está até na faculdade, entrou um ano antes. Você sabia que ele é só seis meses mais novo que nosso filho? E o Naldinho ainda nem concluiu o ensino médio. Foi reprovado. Você se lembra dos problemas que tivemos com ele?

O marido já nervoso, não mais conversava e sim urrava feito um animal com a mulher dizendo: Ta louca mulher? Como você pode comparar o nosso filho com aquela aberração do filho do Antônio? Nosso filho lindo, que namora a menina mais bonita do pedaço. Além do mais, “TODOS” os professores sempre perseguiram o pobre garoto.

Nesse momento aparece Naldinho de banho tomado, e com o taco de Beisebol na mão. Seu pai pergunta: E aí filhão, ta jogando beisebol agora?
O garoto rindo, disse para o pai: É, eu e a turma estamos treinando. Agora mesmo vamos rebater umas bolas por aí. O garoto sabia que era a estrela dourada no céu azul do pai.

Vai lá garoto! Mandou o pai eufórico e orgulhoso do filho ESPADA. O garoto, ou melhor, o quase homem, pois dentro de um mês fará 18 anos, foi saindo... O pai suspirou satisfeito, olhou pra mulher com ar de “eu não te disse”... Olhou pra TV, que anunciava: “... grupo de jovens agride homossexual a pauladas...” Se jogou no sofá e pensou: Santo fim de semana. O carnaval é na semana que vem mesmo? Nem sei. Só sei que serão quatro dias de folga. Vou ver se ta passando futebol no outro canal. Notícia ruim. To fora!

A mulher desalentada foi para a cozinha terminar o almoço de domingo.
Ao longe se ouvia os suspiros da mulher se confundir com os roncos do marido. Esse, definitivamente, não pode ser o som dos dialogo em família. 

Texto de Regina Márcia