domingo, 29 de janeiro de 2012

A FILA DOS ABSURDOS!

Senhoras e senhores organizem–se em fila indiana, vamos fazer a triagem dos casos prioritários para a distribuição das senhas de atendimento. O quadro de profissionais está reduzido. Por isso os casos de risco de morte serão atendidos na frente.

Senhora Educação qual o seu problema?
Meu filho estou com enjôos na pontuação, febre constante na indisciplina, inflamação ortográfica e hoje pela manhã sofri uma supuração gramatical. Fui informada que um universitário escreveu lingüiça com SS.
Aguarde na fila, por favor.

Senhora Segurança Publica!
Vejo que está sangrando.
Sim, e muito. Sofri uma saidinha de banco. Fui receber a aposentadoria. Levei um tiro, perfurou o braço.

Senhor Saneamento Básico.
Acho que peguei leptospirose. Ratos sabe? Tem muitos por onde ando. Mau cheiro, lixo entulhado e esgoto a céu aberto. E o povo andando de lá pra cá no meu de todo o lixo.
Próximo!

Mancando veio chegando a Senhora Moradia.
Estou com 90% do corpo queimado. Alguém deixou uma vela acessa e queimou todos os barracos no alto do morro.

Em convulsão caída no chão estava a Senhora Saúde. Estrebuchava feito uma porca abatida para o natal Nem foi preciso falar. Todos perceberam que o caso era grave. Alguns bons samaritanos se prontificaram em ajudar. Ela está muito mal. Disse a Educação.  Passem ela na frente, podemos esperar.

Tragam uma maca! Disse o funcionário da triagem.
Lá de dentro veio uma voz mal humorada: Não tem maca!
Sem mais demora os próprios enfermos pegaram a doentinha nos braços. Já a caminho da portinha da enfermaria ouviram a sirene do SAMU. Imediatamente os paramédicos aparecem carregando um paciente, pelo estardalhaço o caso era grave, muito grave. Risco de morte!

Na maca estendido, verde como uma folha de bananeira, estava um ESTÁDIO DE FUTEBOL amparado pelo senhor Esportes que aparentava um desalento só.

O funcionário da triagem perguntou: Qual o caso?
Em coro responderam todos que acompanhavam o doente.
“DESLOCAMENTO DE GRAMADO! O pobre teve uma distensão lombar na pequena área. Chamem um médico rápido!”

Uma equipe esbaforida saiu do humilde centro de atendimento, imediatamente medindo a pressão, verificando os batimentos cardíacos do paciente, colocando termômetro e colocando o soro.
Vamos levá-lo pra dentro!

 Ah pronto! Aí o quebra pau começou...
Que absurdo! Ele não corre risco de morte... Tem gente pior que ele. E a Senhora Saúde como fica?

A resposta foi: A Saúde não está tão doente assim... Pode esperar. A convulsão até passou. Está só com 39º graus de febre. Além do mais recebemos ordens de cima pra atender este paciente. Ele tem que se recuperar, pois, em 2014 tem um compromisso inadiável e de suma importância.
Foram levando o paciente “impaciente” para avaliação médica.

O funcionário da triagem reiniciou a distribuição das senhas dizendo: fiquem atentos às datas das consultas, o atendimento está marcado para início de julho de 2012. Início das Campanhas Eleitorais Municipais. Não vão perder o dia!
 
                                                                                                                   Texto de Regina Márcia