terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Vistas grossas e ouvido de mercador! Não me permito ter.

Se pudesse escolher escreveria só textos light, poéticos e alegres. Mas as circunstâncias não deixam! Não sei fazer vistas grossas e nem cultivar ouvido de mercador e além do mais, minha língua é solta e afiada!
Como posso ignorar isso? Cidade de Guidoval sofre com as enchentes







É bem verdade que ainda cultivamos o péssimo hábito de jogar lixo nas ruas e nos leitos dos rios. Em período chuvoso as ruas se transformam num verdadeiro shopping center a céu aberto. Vê-se de tudo rolando correntezas abaixo: garrafa pet, fogão, sofá, brinquedos, até cavalo já foi visto entre outras coisas. Temos que rever nossos conceitos. É urgente mudar! A natureza nada tem a ver com isso.

Mas o que acontece em Minas Gerais há mais de dois meses, não se aplica só em lixo jogado nas ruas. O nome disso é: Descaso político! Empurra - empurra de problemas pra outras gestões. E por aí vai. São tantas desculpas para se fugir das responsabilidade, que daria pra montar um manual de desculpas políticas esfarrapadas. 

Os planejamentos estruturais das cidades estão ultrapassados. As cidades cresceram e muitas vezes de forma desordenada. A mentalidade política também é arcaica, muitos possuem perfil coronelista e nunca ouviram falar em gestão pública, visão de futuro e muito menos em transparência administrativa. 

Para ilustrar minhas reflexões relato um fato ocorrido aqui em Belo Horizonte. 
Enquanto as enchentes assolavam os bairros de BH, a maioria de nossos vereadores se reuniram antes do ressesso parlamentar, para aumentarem seus próprios salários. O prefeito foi procurado por algumas lideranças, eles desejavam o veto por parte do mesmo, porém... Ele nem as caras deu.
Mas é claro que ele vai incorporar a atitude de Pôncio Pilatos. Em 2012 vai tentar a reeleição, assim sendo, nada de desgastes com os companheiros. 

As justificativas para o aumento foram das mais variadas, após, o fato ter caído na mídia e na boca do povo.


O discurso da VEREADOSADA foram desde... “meu espírito era contra”.  
Acreditem ele disse isso mesmo! Francamente vereador, sua carne é muito fraca e sua cara é de pau.

“Outro...” aumento de salário é assunto de vereador “... “Como o prefeito vai mexer com isso?” 

Não se preocupe vereador, o prefeito vai fingir de morto, já está duro e frio! 

Ainda teve outro que disse: ...” que entende e respeita a revolta popular, mas que os eleitores devem é cobrar trabalho dos políticos a favor da sociedade. Quando se fala em aumento de 60%, isso soa como uma bomba. 
Segundo ele o povo está acostumado com aumentos anuais, enquanto que o deles (vereadores) valem por quatro anos. 

Meu caro manso vereador, ainda sabemos fazer contas. Gentileza multiplicar 13% (aumento do salário do povo) X 4 anos que equivale ao seu mandato = 60% (seu aumento salarial)? Errado! Somando o resultado seria 52% de aumento. De onde Vossas Excelências tiraram o acréscimo de mais 8%?  Uaí! Como explicar o inexplicável nê? Nem Freud.
Vou tentar explicar o que nem Freud explica. Recapitulem comigo. Os 8% a mais deve ser de ajuda do paletó, verba pra manutenção degabinete, ajuda com óleo de PEROBA pra lustrar cara de pau entre outras ajudas.

Ôoooooooô poviiim fraquiim e necessitadu são esses VERÊ  de Belo Horizonte, ! Precisam de ajuda pra tudo, menos pra cumprir com suas obrigações.

Salário do povo 13% de aumento sobre R$545,00 mensais Vamos passar 2012 apertados. Mas felizes, se votarmos certo é claro.
Salário de vereador em BH 60% sobre R$9.000,00 mensais. Vão passar 2012 rindo a toa e dando tapinhas em nossas costas se deixarmos. 
http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/em-bh-vereadores-enfrentam-protesto-apos-aumento-de-salario/n1597419338858.html Trechos das desculpas dadas para o aumento do próprio salário foram extraídas dessa reportagem.


Por isso em 2012 fiquem atentos meu povo.


Estamos em ano de eleições Municipais. Fiquem de olhos abertos às propostas de seus candidatos. Siga esses quatro itens básicos de verificação:
  1. Qual o conhecimento que ele tem da cidade;
  2. Se ele tem um Plano de Gestão. Leia esse plano;
  3. Os vereadores devem saber no mínimo o que ele vai fazer na Câmara Municipal. Verifique isso também.
  4. Verifique o passado do seu candidato. 
De posse desses dados você poderá então começar a montar um juízo de valor sobre o que realmente almeja para sua cidade e se as propostas são realizáveis.


Fazendo isso tudo, ainda corremos o risco de errar, por isso, depois do confirme o verde. Acompanhe seu político eleito,  periodicamente.
Difícil nê? Mas necessário.


Texto de Regina Márcia