sexta-feira, 20 de abril de 2012

O Menestrel ( Shakespeare)




Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se. E que companhia nem sempre significa segurança. Começa a aprender que beijos não são contratos e que presentes não são promessas.


E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida! Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.




Hei,  Você que me visita. Não tenha medo de tentar. Vamos juntos! Abra a janela do seu sorriso e as portas do seu coração. Vamos com jeitiiin bem devegariin. Bem dimansiin... 

sábado, 7 de abril de 2012

Eu quero viver essa Páscoa até depois do Natal.



 Quero uma páscoa diferente.
Uma páscoa de risos e com gosto do chocolate, do mais puro cacau, que sempre brota em abundância em nossa doce terra.


Uma páscoa que me de um olhar atento e solidário às angustias do outro.


Uma páscoa com menos preconceitos meus e mais respeito partindo de mim para com relação às minhas coisas e às alheias.


Uma Páscoa com menos calor dos desejos ardentes da paixão, e com mais serenidade e solenidade do incansável amor.


Quero comemorar com cuidado e delicadeza as boas novas que se renovam no relógio do tempo. Eu sei que o tempo é rápido, mas desejo calma na delicadeza dos sentimentos.

Quero uma páscoa de abraço quente, desinteressado. Que esse abraço seja capaz de colar os cacos dos desencontros e das desilusões da vida.

Quero ser o lenço que enxuga às lágrimas tristes do meu amigo e as minhas. E porque não as dos desconhecidos também!?

Quero ter tempo para doar meu tempo ou até mesmo um pedaço de pão. Para um corpo ou para alguma alma desfalecida. Mesmo que esse corpo seja o meu e a alma suplicante a minha!

Quero ser fonte corrente de água viva e não um atoleiro alagando as vielas da amargura tanto minhas quanto dos outros.

Quero a persistência de procurar a Paz, e não a preguiça da guerra;

Quero mais a passagem iluminada do caminho estreito, e menos as gargalhadas sombrias dos caminhos largos;

Quero ser mais com menos. Quero não só nesse domingo de Páscoa.
Quero todo dia! Ao me levantar e ao me deitar!

Meus Deus, eu quero! Quero ser um ser humano melhor. Amar o meu próximo como a mim mesma. Que eu não trate meu próximo como um sujeito indeterminado.

Ajuda-me Senhor! Ajuda-me Senhor!

Preciso querer ser melhor!

Ajuda-me viver essa Páscoa até o Natal e também depois dele.
Que o espírito de Páscoa seja todos os dias em mim. E o mais importante... Que eu me lembre disso!

Amém!
Desejo a todo(a)s amigo(a)s uma Feliz Páscoa!

Texto de Regina Márcia